Arquivo da categoria: #30ideias30dias

30 ideias em 30 dias é um projeto do curso DECOLA para estimular nossa criatividade. Em 30 dias é preciso ter ideias pra sair da zona de conforto, pra estimular a imaginação e a criatividade e pra por em prática algum trabalho adiado.

Karaokê

20141017_213655Já dizia o velho: “Quem canta, os males espanta”. As vezes só atrai mais males, afinal de contas são poucos os que tem uma voz encantadora. Mas, se tem uma coisa que me diverte – e diversão com certeza espanta todos os males – é ir no karaokê.

Normalmente o karaokê acaba sendo o segundo rolê, porque ninguém – ou quase ninguém – chega lá e já sai cantando todas as músicas que pode, mas as vezes é o primeiro rolê mesmo, e aí que aplicamos a única regra do karaokê: esteja bêbado. Se você for cantar, claramente tem que estar bêbado pra cantar aquela música vergonha do Reginaldo Rossi ou aquele som maroto do Raça Negra. Se você não for cantar, você tem que estar bêbado para estar naquele ambiente com bêbados cantando.

E ai sim, estando devidamente alcoolizado, naquele nível de “bebi o suficiente pra cantar, mas não o suficiente pra cair no palco”, cantar espanta sim todos os males. Basta escolher a música que te consagrará naqueles 3 minutos, e que as pessoas que ali estão vão compartilhar com você, com dancinhas e palmas. E quem sabe você não saia de lá ovacionado e já pensando na sua próxima música.

Karaokê sempre remete a boas risadas, músicas trash que vão ficar 1 semana na cabeça e snapchats engraçados beirando a vergonha alheia. É também um momento que você esquece as preocupações mundanas, não liga pros julgamentos alheios e deixa a vergonha de lado pra simplesmente aproveitar. Então, se você ainda não foi em um karaokê, vá.

Ensopado de linguiça e batata

Muito do meu tempo pensando na vida ou me divertindo, tenho que confessar que acaba sendo na cozinha. Gosto de inventar pratos, de fingir que cozinho bem e fazer pratos diferentes. Assisto bastante programas de cozinha, como o da Rita Lobo (que dá dica de cozinha prática), do Olivier e do Rodrigo Hilbert (homem gato e que cozinha bem – J.e.s.u.s).

E nesse assistir, um programa dele me agarrou pelo estômago, por ser fácil e bem saborosa – parecia saborosa na TV, mas pessoalmente também era: Ensopado de linguiça e batata.

Ingredientes

  • linguiça de porco crua
  • todas as batatas que você tiver (baroa, doce, normal…. umas 3 de cada já dá)
  • 4 tomates picados
  • cebola picadinhas
  • alho picadinho
  • cheiro verde
  • bacon fatiado
  • Sal e pimenta a gosto

Como faz?

Primeiro cozinhe a linguiça por cerca de uns 15 minutos. Ela vai ficar feia para um caralho, parecendo você sabe o que, mas o que importa é o sabor. Depois que ela cozinhar deixa ela de lado, e vamos fazendo as outras coisas. Basicamente pica tudo (uii..). Pica as batatas – mas descasca antes, pica os tomates, pica o bacon, pica o cheiro verde, pica cebola e alho. Sabe a linguiça? Pica também, mas em pedaços grandinhos.

Aí pega uma panela e coloca só o bacon. Ele vai soltar uma gordurinha do amor, que não pode ser desperdiçada jamais, e aí com essa gordurinha refogue a cebola e o alho. Depois, joga a linguiça lá dentro e deixa ela dar uma douradinha.

Daí coloca as batatas, os tomates e o sal e pimenta. Coloca um copo de água e tampa, para que as batatas cozinhem bem – ninguém gosta de batata crua. Uns 20 minutos devem ser o suficiente, mas fica de olho! Depois de cozido, só jogar o cheiro verde por cima e dar uma misturadinha.

Gostoso, rápido e gostoso de novo. Dancinha da alegria de comer esse prato:

DSC_0108-ANIMATION

Se preferir ver no canal do Tempero de Família, só clicar aqui.

Customizando xícaras

b41ae1ce28da84288ee8e8efdd0bbfe0Mais um projeto para o #30ideias30dias e dessa vez fui pra cozinha. Ok, várias vezes vou pra cozinha, mas dessa vez não foi pra cozinhar, foi pra customizar xícaras! Sim, tinha algumas (duas na verdade) xícaras em branco, e precisavam de uma vidinha.

Fazia um tempo que queria colocar alguma coisas nela, mas sempre adiei, mas tendo que ter despertar a criatividade em mais um dia, porque não fazer o que tava pra ser feito? O material é fácil e barato: uma xícara, uma caneta de marcar porcelana (comprei por R$10 numa papelaria) e um forno ETAA GIOVANAA. É legal também um papel carbono pra fazer o desenho, mas como eu só lembrei dele depois que já tinha ido a papelaria, fiz o desenho com canetinha – ela sai depois com uma lavagem.

Aí é fácil: escolhe o que quer escrever/desenhar, passa pra xícara e colocar no forno a 180ºC por aproximadamente 30 minutos… Mas fica de olho com as instruções que estão na caneta, pois o tempo de forno pode variar.

Eu procurei algumas frases engraçadinhas no Pinterest, e fiz uma letra mais trabalhadinha pra dar um ar meio hipster, mas vale qualquer coisa. Se depois de pronto você não gostar do resultado, tem que dar uma esfregadinha na xícara para sair a caneta, por isso é legal saber direitinho o que você vai querer.

Depois de customizar a xícara, me empolguei e decorei um potinho aqui também… Dá só uma olhada na galeria de como ficou legal:

 

Cocada

Já falei sobre todas as coisas boas que consegui adicionar na minha vida depois que comecei a ir na feira, e lá consegui comprar coco ralado fresco, que é mil vezes melhor do que o coco de saquinho. Comprei na expectativa de fazer um milhão de coisas, mas veio tanto coco, que no final da semana, tinha metade do saco e eu já tava com medo de estragar e desperdiçar. Aí minha cabecinha de gorda entrou em ação e resolvi aproveitar todo o coco e fazer uma receita hiper fácil e super gostosinha: cocada.

20151018_143240Ingredientes:

Apenas três ingredientes gordos:

  • 1 lata ou caixinha de leite condensado,
  • 2 medidas da lata ou caixinha de açúcar e
  • 100 gramas de coco ralado.

Como faz?

Mais fácil que brigadeiro, ou tão fácil quanto. Só misturar os ingredientes e levar numa panela ao fogo até engrossar. Cuidado pra não queimar! Quando tiver desgrudando da panela, desliga. Aí unta uma forma com manteiga e coloca a cocada ainda quente e espera até esfriar. Não faça que nem eu e raspe a panela ainda quente.

Depois que esfriar, só cortar em pedacinhos e fim! Na geladeira dura uns 7 dias, mas na minha não durou nem 1 dia. Não pela gordisse, mas pela parte desastrada: fui tirar o pote da geladeira e caiu 🙁 Mas as que a gente comeu antes tava ótimo!

Hambúrgueres

Quando a gente alugou esse apartamento, um dos pontos positivos (além de ser perto do metrô) foi o fato de ter uma mini churrasqueira da varanda. Sempre gostamos de reunir amigos ou família pra passar uma tarde comendo churrasco e tomando cerveja. Uma certa vez, inspirada no Vinil Burger (uma das melhores hamburguerias de São Paulo), resolvemos trocar o churrasco pelos hambúrgueres – nossa comida favorita!

Pra fazer uma graça, fomos em uma padaria aqui perto de casa que tem bastante variedades, e compramos pão australiano para fazer alguns dos hambúrgueres. E pra fazer uma graça ainda maior, nos arriscamos e fizemos uma maionese de wasabi – e ficou tudo de bom, viu?

Sem segredos para fazer o hambúrguer, basicamente comprar carne moída da sua preferência (que tenha um pouquinho de gordura pra dar uma liga), temperar com cebola e alho e se gostar pimenta. Daí só fazer as bolinhas e dar uma apertadinha, mas nunca demais pra não tirar o suco da carne. Por fim, carvão já no jeito, só colocar os hambúrgueres na grelha e o sal por cima.

Achou as dicas meio “rasas”? Aqui nesse site tem passo a passo maravilhoso de como fazer um hambúrguer artesanal perfeito! Fácil… E ainda fizemos batata rústica de acompanhamento e claro, cerveja! Ah, esse dia também arriscamos uma caipirinha pra estrear o potinho desenhado. Fotos? Temos sim…