Arquivo da categoria: #30ideias30dias

30 ideias em 30 dias é um projeto do curso DECOLA para estimular nossa criatividade. Em 30 dias é preciso ter ideias pra sair da zona de conforto, pra estimular a imaginação e a criatividade e pra por em prática algum trabalho adiado.

Ibirapuera a noite

Uma coisa que nunca tinha feito era ter ido no parque a noite. O Parque do Ibirapuera aqui em São Paulo há um tempo fica aberto para o público até umas 22h ou 23h da noite, mas mesmo assim nunca tinha ido. Mais pela preguiça do que por qualquer outra coisa. Mas agora temos um cachorro, e nossa mínima obrigação é propiciar pra ele momentos de felicidade fora de casa, ou pelo menos um passeio no parque duas vezes por semana. E assim, com essa “obrigação moral com o Pickles”, depois de passarmos o dia fora, aproveitamos a noite e o levamos para passear no parque.

O parque a noite é meio sinistro, porque ele é bem escuro, obviamente tem muitas árvores e com isso, morcegos, e algumas pessoas aproveitam dessas árvores e escuridão para fazer vocês sabem o que (não é a toa que sempre encontramos umas camisinhas por lá). Mas também tem o pessoal que vai passear com a família, com cachorros ou correr. Então para quem fica na pista (nos lugares iluminados) o parque acaba sendo bem cheio, contrariando nossas expectativas.

Esse dia que a gente foi também estava rolando uma roda gigante em comemoração ao Dia das Crianças feat Outubro Rosa, o que contribuiu para o parque estar mais cheio do que o normal. Mas o que curtimos mesmo foi essa possibilidade de ir em um lugar que gostamos bastante, em horários alternativos e ainda assim com segurança (tem muitos lá dentro rondando o parque).

Esse dia já tinha tido uma ideia pra tag #30ideias30dias, porém como achei bem legal o passeio e a “novidade” para nossas vidas, resolvi incluir essa ideia também. E pra quem fala que nunca tem tempo de ir ao parque, taí uma boa opção.

 

Ainda sobre Maresias

Como contei anteriormente aqui, fui viajar pra Maresias com as amigas por 3 dias, e nesses dias de praia, além de muita conversa – sérias ou não, bebidas – cerveja, skol beats e chá gelado – e risadas, muitas risadas, para me ajudarem no #30dias30ideias, e principalmente ajudarem a fazer eu perder um pouco a vergonha, as meninas gravaram comigo um vídeo.

O assunto? Nenhum, ou todos… To em dúvida. Divagamos sobre o que vinha na cabeça, o que passava na praia, o que vivemos por lá… Enfim, o vídeo vai parecer desconexo (até porque está mesmo), mas está bem engraçado e tá com a cara da gente que é o mais importante. E também tá curtinho, então não se preocupe em ficar muito tempo olhando pra nossa cara.

Então, pra quem nunca foi pra praia com a gente (todo mundo) e quiser viver um assunto nosso de praia, só dar o play. E sem julgamentos! hahaha. Agradeço as minhas tiriças lindas pela gravação. Não foram apresentadas no vídeo, mas Paula e Pri, obrigada pela viagem e por tudo 😉

Ah, e se curtiu, não esquece de dar um LIKE no vídeo, se inscrever no canal e seguir também nas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram | Snapchat: dayalima.

Moldura Friends

Friends é uma série que acompanhou a vida de muita gente que nasceu nos anos 90. Tem os que amam (que nem eu), os que não veem graça e os que também não sabem do que se trata. Eu sempre assisti Friends, tenho meus episódios favoritos, sei muitas falas de cor e sempre gostei da casa deles (acho que todo mundo também).

E todo mundo que é fã, sempre quis ter uma moldura na porta no olho mágico que nem a Monica Geller tinha. Procurei em vários lugares para comprar, e essa moldura não saia por menos de 50 reais. Aí procurei como fazer, e saia bem mais em conta (claramente). Aí, como precisava PRE-CI-SA-VA dessa moldura em casa – e ainda uma boa ideia pro #30ideias30dias – resolvi colocar a mão na massa e fazer a minha moldura.

Mas claro que eu procurei uns passo a passo na Internet, e o que segui e achei mais bem explicadinho foi esse aqui:

O meu passo a passo foi só registrado em fotos, mas ficou bem legal também. Dá trabalho? Dá sim… Mas acho que gastei com tudo uns R$15 (biscuit já amarelo e tinta), dá um pouco de trabalho mas valeu o exercício de criatividade e o resultado final da moldura de Friends:

Sobre 27 anos

No dia 01 de novembro completei mais um ano de vida. Normalmente nos meus aniversários eu não sou a pessoa mais feliz do mundo, e muitas vezes acabo chorando ou caída no chão (de bêbada ou porque me derrubam). Mas esse ano tentei algo diferente: ficar de pé feliz por fazer aniversário.

20151030_224229_HDR-ANIMATION

Quando era criança lembro de gostar bastante de fazer aniversário, mas acho que toda a criança gosta, afinal de contas tem presente, tem bagunça, tem doces e comidas liberadas (sem ser julgada se vou comer demais). Depois de grande, acho que com uns 20…22, fazer aniversário já não era uma coisa tão agradável, porque começava a pensar e via que – mesmo sendo jovem – meu tempo estava passando e talvez eu não estivesse fazendo tudo o que eu queria da vida.

20151030_220712-ANIMATIONOs pensamentos passam de ser “o que eu posso fazer ainda?” para “AI MEU DEUS EU AINDA NÃO FIZ ISSO!“, e a mente começa a fazer uma corrida contra o tempo. Na cabeça começa a aparecer listas e listas que nunca acabam e tenho sempre a sensação de que estou atrasada para fazer alguma coisa, de que um domingo jogada no sofá é terrível e inadmissível.

Mas parando para pensar esse ano, vi que isso é pura noia e que sim, o tempo está passando, mas eu não estou perdendo tempo. Estou fazendo minhas coisas, talvez não como imaginava quando tinha 18 anos, mas estou fazendo muito do planejado. Viagens, saída com amigos, sair de casa e ter uma vida nova são coisas que fiz esse ano e me deixaram muito feliz.

No final das contas, ao invés de olhar o lado negativo do que eu não fiz, to olhando o lado da balança do eu que fiz eu esse ano e que foi bom. Claramente existe coisas que fiz que não queria ter feito ou deveria ter pensado melhor, mas fico feliz ao avaliar que essas são as minorias.

Ficar mais velha não é o final do mundo afinal de contas, é só mais um ano com muitas histórias e conquistas e espero que nos próximos anos essas conquistas aumentem e que quando chegar meu próximo aniversário eu consiga ficar extremamente feliz por ter amigos, brigadeiros e coxinhas!

E ai que eu achei que tinha gravado um vídeo maneiro (mostrando que estou ficando velha utilizando gírias antigas) sobre ter 27 anos, mas durante a festa, veio um amigo e gravou um melhor, que é esse aqui:

Maresias – HD São Paulo Open

Aparentemente, entre os dias 02 e 06 de novembro (de 2015), rolou o HD São Paulo Open (etapa da competição que dá acesso à elite do surf mundial) em Maresias, e coincidentemente estávamos por lá também nessas datas. E foi absoluta coincidência mesmo, porque eu não entendo nada sobre surf, não sei (ou melhor, não sabia) a cara do Medina e não tava entendendo muita coisa.

Mas um grande evento, sempre é interessante ir e conhecer. Apesar do mal tempo, eu, minhas amigas e minha câmera fotográfica, fomos lá ver os acontecimentos. E para nossa surpresa, tinha muita gente naquele local plenas terça de manhã.

Muitos surfistas, muitos gringos e muita gente curiosa (assim como a gente). O campeonato tinha uma infra bem bacana e muitos fotógrafos profissionais. Minha ideia, para o #30dias30ideias, era ir lá fotografar, mas me senti muito “tchonguinha”, com milhares de profissionais por lá, então acabei indo mais pra aprender e curtir o momento.

O que aprendi? Bom, os surfistas fazem uma dancinha antes de entrar na água (o que deve ser o aquecimento), cada bateria dura 30 minutos, as ondas não precisam ser grandes – tipo 3 metros de onda – acho que só precisam ser completas ou longas, o mal tempo não atrapalha o campeonato, afinal o que é uma chuva pra quem tá molhado?! E acho que foi só isso…

E, apesar de não posar de fotógrafa por lá (admito que por vergonha de amadora), tirei algumas pra aproveitar o passeio: