Arquivo da categoria: Um lugar e mais nada

Para viagens de pequenas ou longas distâncias, de 1 dia ou 1 ano… Algumas fotos, ideias, inspirações e dicas por onde passei.

Beco do Batman

Eu vejo muitas fotografias com fundos coloridos e muros bonitos e dia desses (faz um tempo na verdade), descobri que o Beco do Batman – aqui em São Paulo – é um ótimo e super utilizado cenário para essas fotos. Confesso que tenho um pouco de vergonha de ficar tirando fotos por aí ou fazendo pose de blogueira de moda, que inclusive quando eu fui visitar, tinha gente pra caramba fazendo isso.

Fui sem minha câmera, mas a gente sempre tem um celular as mãos, não é mesmo? Como tava ali pertinho, não pude perder a oportunidade de conhecer. O melhor caminho pra chegar de metrô é pela estação Fradique Coutinho, mas de lá ainda se andam uns 15 minutos. O endereço certinho é esse aqui: R. Gonçalo Afonso, na Vila Madalena.

O Beco é pequeno – claro, é um beco né? -, mas as artes na parede e até no chão são muito legais e tem para todos os gostos. Os desenhos são renovados de tempos em tempos pelos grafiteiros e é super disputado, então o legal é sempre que puder passar por lá para ver o que tem de novidade e tirar novas inspirações, e novas fotos porque não.

Minhas fotos estão um pouco tímidas demais mas, isso me motiva a voltar lá e ter a cara de pau que não tive de ficar desfilando com a câmera no Beco.

Miami

Final do mês de novembro, pra fechar o ano com chave de ouro – e claro, graças as passagens promocionais – passamos 4 dias em Miami Beach. Coincidentemente, e olha, foi coincidência mesmo, fomos no feriado de Ação de Graças e ficamos até domingo, ou seja, acabamos pegando os dias do Black Friday (dias porque as promoções sempre se prolongam).

Mas, com o dólar a R$4, fica difícil fazer compras, e como nosso foco também era passeio e descanso (que acabamos nem descansando tanto), o Black Friday acabou passando batido. Aliás, acho que compras é só pra quem vai com o foco nas compras mesmo, porque pra gente que tava passeando, nem vimos todo o alvoroço das lojas.

Foram 4 dias de viagem, mas como o voo tinha escala, metade dos dias foram engolidos pelo entra e sai do avião. Ficamos hospedados no Miami Beach International Travellers Hostel – que é um Hostel excelente, próximo de muitos lugares e pra gente que foi fazer passeio mais baratinho, foi ótimo para conhecer a cidade a pé, e além de tudo, oferece café, almoço e janta e agita várias festinhas!

Miami tem milhares de pontos turísticos – ainda mais baratinhos – então, nos demos ao luxo de curtir algumas horas na praia. Mas ainda assim, fomos visitar o Pier – que fica em South Beach, Lincoln Street – rua famosíssima pelas lojas e restaurantes, Holocaust Memorial – memorial do holocausto que é pesadíssimo e nos fez pensar por muito tempo, Española Way – que também tem um roteiro gastronômico bem legal, Little Havana e o ritmo latino e charutos incríveis, America Airlines Arena e um jogo de basquete bem animado, Wynwood Walls – as famosas paredes grafitadas em um espaço bem legal.

Conhecemos vários lugares, andamos cerca de 10 Km por dia, pois não pegamos carro – como fazem a maioria das pessoas que vão por lá. Andar com o carro por lá é uma ótima pedida, porque o transporte público não é tão bom e pode ser até um pouco confuso. Na média, as passagens de ônibus custam $2.65 e pra andar de Miami para Miami Beach são necessário dois ônibus.
Apesar do calor no outono, em Miami Beach tem muito vento, então pode ser que não dê praia, ou que em alguns momentos o tempo pareça que vai fechar, mas o vento leva as nuvens embora e as traz na m esma velocidade. Um casaquinho pra sair no final da tarde é sempre bem vindo. E pra quem acha que vai treinar o inglês em Miami ou tem medo de ir porque não fala nada, não se preocupe! Miami tem muitos latinos, e se alguém te ver falando português, vai falar com você um portunhol, isso desde o aeroporto até restaurantes. Então, don’t be afraid… Ou melhor no tengas miedo hehehe.

Pra não alongar mais o post, gravei um vídeo que tá mais tremido do que não sei o que lá (mas o que vale é a intenção né?) de alguns lugares que passamos e fiz um roteirinho que só clicar pra baixar… Além do famoso Google Maps! Então, bora comprar a passagem e ir pra Miami Beach, bitch!

Não esquece de curtir o vídeo se gostos, curtir o canal e seguir no Instagram, Twitter e Facebook.

Maresias

Há alguns dias atrás fui fazer uma coisa que nunca tinha feito e sempre quis fazer no meu subconsciente: uma viagem só com as amigas. As agendas são difíceis de bater, e sempre já tínhamos férias comprometidas. Mas esse ano foi viável e apesar da crise no Brasil, conseguimos viajar juntas, a um preço de custo baixo. A opção escolhida foi pro litoral norte de SP, pra praia de Maresias.

Somos amigas há pelo menos 10 anos, e assim como todas as amizades boas e verdadeiras, passamos tempos longes e tempos perto, e mesmo assim nada muda. Mas acho que é assim que tem que ser, não é mesmo?

Bom, como a viagem era na semana conseguimos ir até o Maresias Hostel, que tem um ótimo custo benefício, quartos bons com café da manhã OK e localização excelente perto dos bares, do centro, de restaurante, do Sirena e claramente, da praia.

Ficamos do dia 03 a 06 de novembro e estava rolando um campeonato de surf (que vou contar em outro post). O único problema com toda essa viagem foi o SOL que resolveu tirar férias da gente. Pegamos tempo muito nublado com bastante garoa, mas nem tudo é perfeito nessa vida… Estar com as amigas, tomar umas cervejas e colocar a conversa em dia foi maravilhoso, e vamos repetir o quanto antes a experiência.

Como foi uma experiencia super válida e nova, cabe no #30ideias30dias, porque não? E deixo aqui a dica pra quem nunca fez isso, preserve as amizades antigas e viaje com elas. Só renova e fortalece os laços e a intimidade. E deixo aqui também algumas fotos do passeio:

Rio de Janeiro


Desde a primeira vez que fui ao Rio, me apaixonei por ele. Todo mundo sempre dá uma arregaladinha de olho quando falo que vou pro Rio, me manda tomar muitos cuidados e não levar muitas coisas pra praia, mas na verdade o Rio não me deixa tão insegura quanto outras cidades do Brasil. Não me entenda mal, não estou dizendo que o Rio de Janeiro é seguro, mas não é tão perigoso como muitas regiões de São Paulo. Como diria meu antigo chefe, quem tem medo do Rio normalmente tem a cara de assaltado hahaha.

E desde quando comecei a visitar o Rio, não parei mais, e sempre procuro ir pra lá uma vez no ano. No ano passado, acho que chegamos a ir umas 5 ou 6 vezes, mas esse ano (ano de crise hahah), acabamos indo só duas vezes.

Vista da Marina da Gloria

Nas primeiras vezes eu fui bem como turista, subi no Cristo, fui no Pão de Açúcar, tirei fotos com a estátua do Drummond, fui em todas as praias conhecidas, comprei biscoito Globo, subi o morro, comi empada… Enfim, fiz o que todos os turistas fazem, mas as ultimas vezes vamos conhecendo o Rio como cariocas, e tentamos fazer passeios do dia-dia e aproveitar mais a cidade.

Essa ultima vez, entretanto, como era meu aniversário, acabamos sendo um pouco turistas. Fomos tomar um brunch no Forte de Copacabana – que é muito mais fila e fama do que o que realmente é, fomos em um pub pop pra comemorar a noite – tem cervejas especiais, hambúrgueres ótimos, porém não tem cara de pub que nem os de SP –  e, passamos o dia na praia na tentativa de nos bronzear – intercalando entre Copacabana e Ipanema (poxxto 9). Mas a cada ida ao Rio, renovo minhas energias e sei, que em um futuro, vou morar lá por um tempo! E pra essa viagem, vai mais uma pra conta do #30ideias30dias – que já está no final!

Fotos dessa estadia, porque não…

Cartagena


Cartagena é uma cidade caliente localizada na Colômbia, e tivemos o prazer de desfrutar nesse feriado de 7 de setembro. São aproximadamente 6 horas de viagem o trecho SP -> Bogotá e mais 1 horinha o trecho Bogotá -> Cartagena. A Avianca lá impera nos vôos e, pra gente que nunca tinha viajado de Avianca, foi uma surpresa positiva: espaço entre as poltronas, as comidinhas boas (por ser de avião) e aeronaves novas e com tecnologia nova. Ah, são duas horas a menos em relação ao horário de Brasília, o que fez nosso “bate e volta” ser mais produtivo.

De todos os depoimentos que li diziam que 3 dias em Cartagena eram o suficientes para conhecer tudo, e realmente conseguimos conhecer. Claro que mais dias nos deixariam mais felizes, pois gostamos de viver a cultura e o dia dia do país, mas em três dias dá pra turistar.

castelloSanFelipe

Castello San Felipe e Los Zapatos Vieijos

Primeira dica que todo mundo sempre alerta: negocie. Lá todos querem te vender qualquer coisa o tempo todo. Tem ambulante pra dar e vender… aliás, só pra vender. E se você realmente quiser o serviço ou produto, negocie. Desde o táxi saindo no aeroporto, até a cerveja ou água que você comprar na rua.

Outra dica importante é ter paciência com os ambulantes. A cada dois minutos eles te abordam, te oferecem e tem os que puxam conversa para depois oferecer. Chega uma hora que fica chato, mas não tem o que fazer. O negócio é ter paciência e se não quiser falar: “No, gracias” sem mais delongas.

cartagena

Sacadas bonitinhas, Club Colombia e Torre del Reloj

Cartagena é bem quente. Plenos invernos e pegamos 33 graus de sol na cabeça, com sensação térmica de 50 fucking graus. E a noite não fica por baixo, com 25 – 27 graus e pouco vento, propício pra tomar uma Club Colombia (uma das cervejas de lá). Com os dias quentes, muita água durante o caminho dos passeios, roupas beeem levinhas e pra meninas, nada de cabelo bonito e maquiagem, tem que aceitar a cara como é hahaha!

Fizemos passeio pra Playa Blanca... Tava bem cheio, mas a praia é linda!

Fizemos passeio pra Playa Blanca… Tava bem cheio, mas a praia é linda!

Pra ficar tudo mais fácil, ficamos em um hotel dentro da cidade amuralhada no centro (que é cercada pelos murinhos), que fica próximo de quase todos os pontos turísticos. Tem um mapinha aqui em baixo com o que visitamos. Como o tempo era curto, tivemos que abrir mão de alguns, como o Convento De La Popa, Bocagrande e passeio das Islas del Rosario.

Fora esses, fizemos passeios incríveis, ficamos encantados com as sacadas floridas e bem cuidadas que com certeza alegram a paisagem, a animação mesmo com tanto calor de dia e de noite as ruas sempre cheias e animadas, a cidade bem limpa e a sensação de segurança também foi surpreendente (brasileiros são sempre desconfiados).

Ultima dica: a cerveja lá é até barata e a Club Colombia é melhor que a Águila ;P

cartagena2

Pôr do sol bem lindo visto do muro, o muro durante o dia e a estátua da Gorda

Por fim, o mapa com os pontos turísticos e com dicas de alguns restaurantes. A maioria dos restaurantes fica na média de 25.000 cops, que dá cerca de 28 dilmas… Pra quem tiver dólar guardadinho, vale a pena levar, pois dólar lá é bem valorizado. E quem for trocar reais, a cotação que valia mais a pena era no Aeroporto de Bogotá (670.000), seguido pelas casas de câmbio da cidade (630.000) e por fim, o Aeroporto de Cartagena (600.000). O que a gente fez, foi passar o cartão de crédito, como é convertido para dólar, também valeu a pena.