euzinha

Até um tempo atrás escrever sobre mim era difícil. Boa parte disso é porque eu não me conhecia e falar sobre mim se tornava uma tarefa desafiadora e cansativa. Mas hoje já posso dizer que me conheço bastante – talvez não o suficiente, tem muitos eus dentro de mim – para falar um pouco sobre quem sou eu agora… Agora, porque cada dia que passa eu vou me descobrindo e me transformando. E isso não é demais!?

Quando eu cheguei por aqui, era tudo mato.

Peguei a internet raiz, a internet bebê. Ví os blogs aparecendo e desaparecendo. Todo mundo escrevia pelo prazer de escrever, aí depois disso tudo veio as bloguerias, o merchan, os publis… Nada antes era pensando em patrocínio nem visibilidade. Ninguém nem conhecia o poder que a internet ia ter, então era tudo por diversão ou por falta do que fazer. Nesse nem tão tanto tempo atrás assim, tive alguns blogs, fotolog e orkut. Assim, como era antigamente, eu tento fazer desse espaço um lugar pra tirar meus pensamentos e meus gostos do papel – confesso que agora tenho um caderno e que escrevo mais vezes lá do que aqui. Mas aqui é o espaço que espero que ganhe mais espaço pra se tornar cada vez mais eu.

Daya por Daya

Primeiramente, meu nome é Dayana, mas pode me chamar de Daya. Sou formada e pós graduada em TI e até um tempo atrás pensei que seria minha carreira pra vida toda. Ainda bem que estava errada, porque já não tinha mais gosto pela profissão fazia um tempo e cá entre nós não tinha nada a ver comigo e um dia resolvi largar tudo pro alto e tentar refazer a minha vida. Pensar em uma profissão nova, novos planos e novos sonhos. Não, não é fácil, dá medo, dá frio na barriga e uma insegurança da porra, mas foi preciso. E graças a Deusa eu tenho esse privilégio de tentar começar do zero – e agradeço sempre por isso.

Me redescobrindo voltei a desenhar, coisa que não fazia desde os 14/15 anos de idade. E encontrei muito de mim nos desenhos. Aliás, através dos desenhos consigo me expressar e encontrar meus desejos, sentimentos, emoções que muito tempo ficaram guardados. Através dos desenhos e da terapia, é claro.

Fora todo esse movimento de sair do trabalho e entrar em mim mesmo, acabei mudando de país. Saí do Brasil e agora moro em Berlim. Juntou todas as mudanças em um espaço pequeno de tempo, e imagina como as coisas nessa cabeça foram se desenrolando, não é mesmo?!
Moro com o Fabio e o Pickles (meu cachorro) e agora a gente tem a nossa família aqui na Alemanha.

E dentro de todos esses processos, mudanças e descobertas, fui me desconstruindo e reconstruindo. Amadureci muito – e ainda preciso muito mais – , ganhei forças, descobri algumas coisas que já me pertenciam mas estavam ali, adormecidas. E cada dia vou descobrindo mais… eu e o mundo.

Não sei como posso me definir profissionalmente, mas hoje já entendo que não sou minha profissão e sou além disso. Hoje eu sou a Daya feminista, que tem um cachorro, um relacionamento, algumas plantas, alguns exercícios, muito conhecimento, muita curiosidade, muito medo e muitas dúvidas, muita vontade e muitas horas na terapia pra me ajudar a por pra fora tudo que se passa aqui dentro. E nessa mistura toda, ainda aprendendo a falar alemão.

O meu mundo esse é hoje, mas vai mudar daqui a pouco.
E não é bonito isso?!

Deixe um comentário

2 ideias sobre “euzinha

    1. Daya Lima Autor do post

      Simm! Sempre bom quando a gente consegue enxergar nosso desenvolvimento e crescimento… É um exercício que venho fazendo sempre 🙂

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Protected with IP Blacklist CloudIP Blacklist Cloud