Arquivo da tag: Copacabana

Rio de Janeiro

Sim, tenho um certo apego pelo Rio de Janeiro – para quem não percebeu ainda. Nos últimos cinco anos, já fomos mais de 10 vezes para lá, e nesse ultimo  final de semana, fomos mais uma vez. Tem quem não goste do Rio e tem também quem nunca foi, mas eu sempre aconselho as pessoas a irem, quebrar os preconceitos (essa rixa Rio x SP não tá com nada) e conhecer algo novo por lá. E, assim como SP e em qualquer lugar, n-o Rio sempre tem novidades e lugares novos para conhecer.

Tenho um certo amor por praias em geral, sou movida pelo sol e reservei um dia para fazer minha fotossíntese. Sim, é inverno, mas acho que assim como gosto do RJ, ele também gosta de mim, e pegamos um dia com 27 graus e muito sol e céu azul. Ficamos hospedados em Copacabana, perto do forte, sabe? Tem sido nosso lugar preferido pelo custo benefício de hospedagem x localização, mas sempre damos um pulinho em Ipanema <3

No mar já não deu pra entrar estava bastante sujo, além da água de lá ser sempre bem gelada. A praia no geral tava tranquila, então aproveitamos o dia de sol, o matte e as empadas. Adoro as empadinhas cariocas!  Acho que por conta das Olimpíadas, a cidade estava cheia de gringos e também os preços estavam bem salgados. As cervejas simples no mercado estava por volta dos 4 reais a latinha, então pra quem for pra lá, prepare o bolso.

mapa_jbEnfim, com muita praia, bebida, noites tranquilas, a dica pra visitar no Rio de Janeiro dessa vez é a visita ao Parque Lage. O parque fica perto da Lagoa e do Jardim Botânico, é bem grande e dá pra passar algumas horas por lá. Lí que durante a semana o parque é mais vazio. Nesse final de semana o parque estava cheio e, por ser um parque bem bonito, várias pessoas estavam tirando fotos para books de bebe, de casamento e algumas blogueiras fazendo o “look do dia”. Ah, de lá dá pra ver o Cristo também, quando o céu está limpo, é claro!

Para quem puder/quiser, tem um café por lá, onde você pode tomar café/brunch ou almoçar, o chamado Plage Café. Meio carinho sim,  (achei umas fotinhos do cardápio e coloquei aqui) mas é bem gostosinho, bem servido e vale a pena o visual todo. Parece que as vezes lota por lá, mas fomos no domingo, umas 12h e conseguimos mesa em 15 minutos de espera, acho que demos sorte.

Nossa opção foi o brunch completo que veio servido com ovos mexidos, bolo de chocolate e nozes, frutas da estação (melão, mamão, uvas e manga), cesta de pães, iogurte natural com granola, um suco e uma bebida quente – que foi o café latte o escolhido, além de recheinhos pros pãezinhos: geléia, peito de peru, queijo branco, manteiga e requeijão. O preço foi R$69, mas deu para dividir por dois tranquilamente, saímos de lá satisfeitíssimos. Fora isso, tem opções de comidinha, almoço, brunch mais completo e também um cardápio com várias bebidinhas.

Pra quem quiser acompanhar as próximas viagens, add no Snapchat dayalima, que eu sempre coloco dicas dos lugares que passo e bastante fotos!

O final de semana foi simples, leve e ensolarado. A ponte aérea dura 50 minutinhos e sempre tem passagens em promoção por aí. Então mais uma vez, deixo a dica aqui: VAI PRO RIO!

Rio de Janeiro


Desde a primeira vez que fui ao Rio, me apaixonei por ele. Todo mundo sempre dá uma arregaladinha de olho quando falo que vou pro Rio, me manda tomar muitos cuidados e não levar muitas coisas pra praia, mas na verdade o Rio não me deixa tão insegura quanto outras cidades do Brasil. Não me entenda mal, não estou dizendo que o Rio de Janeiro é seguro, mas não é tão perigoso como muitas regiões de São Paulo. Como diria meu antigo chefe, quem tem medo do Rio normalmente tem a cara de assaltado hahaha.

E desde quando comecei a visitar o Rio, não parei mais, e sempre procuro ir pra lá uma vez no ano. No ano passado, acho que chegamos a ir umas 5 ou 6 vezes, mas esse ano (ano de crise hahah), acabamos indo só duas vezes.

Vista da Marina da Gloria

Nas primeiras vezes eu fui bem como turista, subi no Cristo, fui no Pão de Açúcar, tirei fotos com a estátua do Drummond, fui em todas as praias conhecidas, comprei biscoito Globo, subi o morro, comi empada… Enfim, fiz o que todos os turistas fazem, mas as ultimas vezes vamos conhecendo o Rio como cariocas, e tentamos fazer passeios do dia-dia e aproveitar mais a cidade.

Essa ultima vez, entretanto, como era meu aniversário, acabamos sendo um pouco turistas. Fomos tomar um brunch no Forte de Copacabana – que é muito mais fila e fama do que o que realmente é, fomos em um pub pop pra comemorar a noite – tem cervejas especiais, hambúrgueres ótimos, porém não tem cara de pub que nem os de SP –  e, passamos o dia na praia na tentativa de nos bronzear – intercalando entre Copacabana e Ipanema (poxxto 9). Mas a cada ida ao Rio, renovo minhas energias e sei, que em um futuro, vou morar lá por um tempo! E pra essa viagem, vai mais uma pra conta do #30ideias30dias – que já está no final!

Fotos dessa estadia, porque não…

The Apple City – Parte 2

Dia 05 – Central Park, Museu de História Natural, Brooklyn Bridge e Century 21

Um dia de ressaca, acordamos mais tarde e aproveitamos o finalzinho da manhã para visitar o Central Park. Antes de chegar lá, pausa para foto do globo do Planeta Diário rs. O clima de lá é outro: pessoas passeando, correndo, lendo livros, deitadas na grama.. As vezes de biquíni, as vezes de shorts mesmo. Um clima maravilhoso, com todo o ar puro e pura descontração. Como havíamos ido apenas pra conhecer, não passamos o dia por lá… Apenas exploramos o parque, andamos, conhecemos o centro, com um pequeno rio e pessoas andando de barco.

dia 05

No meio do parque (do lado de fora), fica o museu de História Natural, o único museu que escolhemos para ver, com muitas obras interessantes, ossos de dinossauros, planetário… Passeio pra meio dia, porém o museu fecha as 17h30, então tem que programar certinho. Saímos de lá e fomos pro Brooklyn em busca da Brooklyn Bridge… Lemos em mil lugares que a vista do Brooklyn pra Manhattan é mais bonita do que o contrário, então assim fizemos… Em 30 min dá pra atravessar a ponte, parar pra tirar umas fotos e chegar do outro lado sem morrer. Só tem que tomar cuidado para não atropelar ninguém e nem bloquear as faixas de ciclistas, mas tudo é bem sinalizado por lá.

dia 051

No final da ponte (andando mais uns 10 minutinhos), encontramos o “pote de ouro” das compras, no caso a Century 21, que é um outlet das marcas mais famosas (RayBan, Michael Kors, Tommy, Calvin Klein…) com preços e variedades bem bacanas! Vale a pena passar pelos seus 5 andares…

Dia 06 – BH, MAC, Victoria Secrets, Lincon Center e Juilliards

Resolvi trocar de celular, e fui a procura – o melhor jeito é comprar na Amazon só que precisava pagar em espécie, já que o cartão estava proibido. Fomos na Best Buy, mas o que pareceu uma boa ideia no começo, foi a pior das ideias… Pessoas mal-humoradas e celulares bloqueados pela operadora. Procurei na internet e achei a loja que vou levar pra minha vida. Uma loja meio bagunça cheia de judeus (todos de quipá, uma graça) e um atendimento excelente!

dia 06

Aproveitando a compra, andamos até a Victoria Secret’s que sempre tem cremes com preços bacanérrimos e passadinha na MAC pra comprar as makes (preço sempre mais em conta que no Brasil). Depois das paradas pra comprar, fomos no Lincon Center pra apreciar a vista nas suas fontes e depois ficamos largados no gramado da Juilliards – escola de dança famosíssima de filmes, séries, etc.

Pra fechar o dia de caminhada, fizemos uma parada no Junior’s para comer Cheescake (atendimento péssimo, mas cheescake ótimo!) e a noite fomos jantar em um restaurante Chinês na Chinatown, super tradicional e super baratinho!

Dia 07 – Coney Island,  e 5 guys

Como os dias estavam mais tranquilos, pois já havíamos feito todos os passeios que queríamos, tiramos um dia de folga e fomos a la playa! Coney Island e uma viagem no tempo, com seu parque de diversão e o maravilhoso Nathan’s e seu cachorro quente <3 Passamos o dia na praia, que é bem policiado, proibido bebidas alcoólicas e pessoas educadas. O pessoal jogando boomerang (entre outros jogos que não entendemos rs), respeitando espaço… Algumas fazendo top less. Todas com biquínis maiores do que o das brasileiras mais recatadas, então acostume-se com os olhares.

Ficamos na praia, comemos e passeamos pelo “calçadão”, de Coney Island até a Brighton Beach (praia ucraniana, mais reservada) e depois voltamos para a ilha para encontrar uma amiga. Depois de um dia de descanso, batemos um pouquinho de perna em torno no Union Square e fomos comer no 5 guys – hamburgueria com melhor batata frita e refil de refrigerante. Muito boa! 🙂

dia 07

Dia 08 – TKTS, Chinatown, Broadway, Union Square, Public Library e Dunkin Donuts

Acordamos cedo para conseguirmos comprar ingresso com desconto para um dos espetáculos da Broadway. Fomos andando e passamos pela Chinatown, tudo bem bonitinho, bem arrumadinho… Uma Liberdade de primeiro mundo rs. Pegamos umas dicas e descobrimos que o TKTS mais vazio é o do Pier 17 – o da Times Square é sempre muuuito cheio, e nesse do Pier 17 ficamos 30 minutos no máximo… E apesar do super desconto de 40%, ainda pagamos $80 por pessoa para assistir Chicago.

dia 071

Ainda lá nas regiões do Pier 17, estava rolando um Food Truck e uma sessão de cinema ao ar livre. Andamos mais um poucão em direção ao centro e fomos no Union Square (agora a luz do dia), curtir o parque, ver uns esquilos e ver gente. Estava rolando uma feirinha de comidas exóticas em volta da praça <3

Ainda andando por aí, fizemos algumas paradas no Soho Café, loja de lembrancinhas e no Dunkin Donuts – que vende donuts por $0.99, e se isso não é amor, não sei mais o que é. Tomamos café da tarde com rosquinha e fomos visitar a Public Library!  Gigante e não conseguimos ver tudo, mas tinha uma exposição para crianças que era uma fofurinha 🙂 Depois da visita, fomos para a Broadway para assistirmos o tão esperado show. Apesar de ter sido carinho, valeu cada centavo. Produção incrível, atores excelentes e estrutura de primeira… Se não tivesse ido em algum espetáculo, estaria incompleta minha viagem <3

dia 08

Dia 09 – Central Park, Flatiron Building e Forever 21

Nesse dia também queríamos descansar e aproveitar a vida como Nova Iorquinos! E nada melhor do que passar o dia ensolarado no Central Park. Fomos nos jogar na grama verdinha e bem preservada e fazer um mini picnic por lá! Todos fizeram a mesma coisa, e por lá encontramos de todo tipo de gente, fazendo picnic, tomando sol de biquíni, jogando vôlei, com os amigos, fazendo festa… Tem de tudo e é uma delícia!

dia 09

Levamos nosso lanchinho natureba (ou pelo menos tentamos), pegamos nossa canga de Copacabana e passamos a tarde deitados nas gramas verdinhas do parque. Prestando atenção em algumas conversas, nos comportamentos, no pôr do sol! Passamos o dia por lá e depois fomos andando para a Times Square.

E lá tem uma Forever 21 gigante e cheia de brasileiras, e acabei passando pra comprar umas peças e umas regatinhas de $ 2,00. (desaforoo). E de lá andamos mais um pouco pela Broadway com a 5 avenue até o edifício fininho, o Flatiron Building! Realmente fininho e bem na frente dele tem uma pracinha com um Shake Shack incrivelmente movimentado.

Depois disso, fomos tomar umas cervejas e começar a montar a mala pra voltar pra SP 🙁

Dia 10 – Big Gay IceCream e de volta a SP

Era o dia de ir embora e não tínhamos mais tempo (e nem dinheiro) para fazermos nada. Mas não poderíamos deixar de tomar um sorvete gostoso em plenos 30 graus da cidade da maçã. E lá pertinho de onde estávamos tinha um The Big Gay IceCream, uma sorveteria com um sorvete super delícia que vale a pena a visita!

Depois tomamos nosso caminho da roça, pegamos o metrô e fomos rumo ao JFK. Além de uma grande fila pra entrar na sala de embarque, passamos pelo DuttyFree e compramos perfumes e bebidas (como manda a tradição). O preço ainda compensa, mas não tem muitas variedades…

dia 10

Voltamos pra SP com a sensação de missão cumprida e com gostinho de quero mais. NY é uma cidade 24 horas e acho que todo mundo já cogitou morar por lá, e comigo não é diferente. Ver uma cidade funcional (quesitos transporte público, disponibilidade, restaurantes, lojas), com tudo que a gente precisa e mais um pouco, é querer ficar lá pra sempre – apesar de ser caro pra comer/morar!

 

Resumo de Janeiro

Janeiro demorou seis anos para acabar, mas por fim,  acabou! Pra fechar o mês e começar o outro, vamos ao resumo do que aconteceu de melhor no blog em janeiro…

—-

Janeiro teve dicas de viagem que fiz no final do ano… Primeiro ano novo em Copacabana, com bastante dicas para quem, assim como eu, foi a primeira vez.

copa

E continuando a falar de viagem, aproveitei pra falar um pouquinho de Búzios, que foi onde passei minhas férias!

buziosE como depois de muito dias de praia meu cabelo mostrou seu poder, aproveitei pra experimentar o novo Pantenne nas minhas madeixas e super deu certo a química entre a gente <3

panteneJaneiro também teve a nova versão do Onde abunda nada falta, separando as  bundas por público, e a versão também ganhou tema por mês… O dessa vez foi o verão.

onde abundaE por falar em verão, aproveitei pra apoiar a causa do Bermuda Sim! e divulgar o trabalho que os caras fizeram para convencer os chefes e empresas que trabalhar de terno e gravata nesse calor não tem nada a ver..

bermuda simE por fim, pra falar um pouquinho de mim e da minha ultima (segunda) tattoo e dar algumas novas dicas!

tattoo

—-

Resumo de janeiro foi isso, vamos esperar que fevereiro tenha mais coisas pra fazer e pra contar aqui!

2014 em Copacabana

DSC01417

Vou contar aqui um pouco sobre minhas férias, e dessa vez vou começar de trás pra frente… Pra não esquecer os detalhes e as dicas pra quem quiser viajar pra Copacabana e ver os melhores fogos que já vi na vida! Parece exagero… Até tirei fotos, gravei vídeos, mas nada explica a emoção de assistir 16 minutos de fogos, magicamente, com muitas luzes e um clima maravilhoso, e poder passar o ano com todos esses sentimentos foi mais do que perfeito.

Primeira dica: fiquem em Copacabana ou nas praias próximas. Muito óbvia essa dica, mas como uma vez um certo alguém me disse que o óbvio deve ser dito, vou dizer aqui também. Pode ser caro, mas não é toda vez que você vai desembolsar uma grana para isso, então vale a pena. Porque? Porque você evita fila de metrô (principalmente na volta), evita ter que chegar cedo… Ter que dispensar a champanhe do final do ano… Evita muitas coisas que podem ser evitadas se você se planejar antes e fechar hotel/pousada/hostel antecipadamente e ficar em Copa, Ipanema, Botafogo, Leme…

Pra quem ficar longe mesmo assim, a dica mestra é comprar o bilhete do metro com antecedência, ai você pode escolher os horários e não sofre na fila pra comprar de ultima hora, como a maioria do pessoal fica. Dependendo onde você estiver hospedado, vale mais a pena pegar ônibus, mas prepara pra pegar filas na hora de ir embora. (não que seja diferente com o metrô).

Segunda dica: Não fique perto do Copacabana Palace, a não ser que você goste de muvucas ou esteja hospedado lá. Na frente do Copacabana Palace é onde acontece o famoso show de Copa, e todo mundo vai pra lá, pra ver o show, e ver os fogos…E fica aquela muvucada, e ai tem que se ter preocupação com furtos, com espaço… Pra quem fica nas pontinhas da praia é melhor, um ambiente mais tranquilo, com circulação de boa e mais segurança! Não tivemos que brigar com espaço e vimos tudo tranquilamente!

Terceira dica: a não ser que você queira acampar na praia, não vale a pena levar seu isopor com cerveja, bolsa, etc. Vários ambulantes passam por lá e dá pra comprar cerveja, pipoca, churrasquinho… tudo na rua. Você não passa perrengue na hora de comprar e não corre o risco de tomar bebidas quentes.

IMG-20140101-WA0008

Ultima dica: a mais importante que eu não segui… Compre uma festa! Sim… A gente não comprou, e depois que tem todo o estouros dos maravilhosos fogos, o que tinha pra fazer? Isso mesmo, nada. Até da pra ficar na praia de boa bebendo, mas nada melhor do que na virada do ano, fechar uma festa e curtir até a tarde do dia seguinte. Se eu voltasse lá (com certeza vai acontecer) essa é uma dica que gostaria de ter lido!

Do mais, o nosso ano novo foi maravilhoso, muita energia boa! Ahh, completo as dicas também dizendo pra todo mundo ir de chinelo e não tirá-lo quando for pular as 7 ondinhas, porque essa hora o mar tá cheio de rosas, tem garrafa no chão, oferenda, e pode ser que algum acidente aconteça…

Antes de irmos, todo mundo falou tanto de muvuca, assaltos e perrengues, que acabamos ficando assustados com o que íamos encontrar por lá. Acho que essas dicas, assim como salvou a gente, pode salvar vocês de alguma coisa… Não passamos por nada e sobrevivemos a virada (ficou estranha essa frase o_O) ! Mas acabamos não levando nenhum celular, e só a câmera pobrinha e documentos, com medo de acontecer algo. Claro que sempre pode ser que aconteça, mas o Rio não é tão mais perigoso quanto o Ano Novo na Paulista… Rola ainda bastante preconceito também.

To colocando as fotos do que foi nossa virada (uiiii) e um vídeo com um pouquinho dos fogos. Sobre os fogos, vale lembrar que foi um espetáculo, com bastante show, em forma de coração, smiles, alguns parecendo que estavam dando zoom.

O melhor foi o fato de não ter barulho nenhum e todo mundo estar concentrado em assistir o show e não ficar soltando fogos de todos os lados ( o que acontece nos demais litorais no fim do ano, e enchem o saco e me deixam com medo). Vê se você se anima, planeja esse ano em passar a virada lá e fechem tudo com antecedência! A sorte que demos é que fez muito sol, e a noite da virada (ok, desisto.. vai ficar porn assim mesmo) não choveu e fez muito calor, deixando tudo mais animado! o//