Arquivo da tag: LOVE

É só sexo

Antes de começar a ler esse texto, alerto que será um textão. Então, já fica a dica aí pra você não ficar me xingando e falar que eu escrevo muito, etc.

Ontem a Globo exibiu a primeira cena de sexo gay em uma de suas novelas. Mais precisamente a novela Liberdade, Liberdade, que passa por volta das 23h. Não demorou muito para que todas as redes sociais começasse a fazer um barulho, e hoje, depois que acordei, ví a repercussão de tudo isso.

MAS QUE?!

Primeiramente, as pessoas tem que parar de se referir 4964c29075f0daab9fd59250ec98d827como “sexo gay” e sim como sexo. Relações entre homens e mulheres, mulheres e mulheres, homens e homens pouco importam, sexo é sexo. Enfim, se você está assistindo uma novela e passa uma cena de sexo você tem a opção de mudar de canal, ao invés de ficar fazendo textão no Facebook.

Aliás, muitas novelas tem cena de sexo entre homem e mulher e raramente vemos esse tipo de comportamento, a preocupação de um filho ter visto tal cena, a afronta a família tradicional brasileira. Se você não quer que seu filho veja cenas de sexo, não o deixe ver cenas de sexo, se você não quer ver cenas de sexo, não veja cenas de sexo.

O que você não deve fazer é sair distribuindo textos de ódio e puro preconceito infundado nas redes sociais. Quando você faz isso, você mostra que faz parte de um dos piores grupos de ser humano e faz com que as pessoas sensatas sintam pena, raiva, nojo entre outras coisas. Digo sensatas, porque assim como você, outras pessoas compartilham desse sentimento e acham isso certo ou legal.

Mas o que eu devo fazer nessa situação?

Pensei em compartilhar alguns dos comentários absurdos que li nos portais, alguns textos que ví no Facebook e algumas ideias que o pessoal deixou em comentários por aí. Mas achei que seria uma grande perda de tempo, além de dar um certo tipo de ibope pra essa atitude que não apoio, então resolvi deixar umas dicas aqui para você ler antes de escrever seu famigerado textão.

39b2919a744d17c9370813610998cb4fComece se questionando: Porque isso me irrita tanto? Porque duas pessoas transando e sendo felizes me deixam triste? Será que eu não gosto de ver as pessoas felizes? Será que o amor tem que acontecer só comigo? Só eu ou meus amigos podemos transar livremente por aí?

Depois de responder a todas as perguntas e ainda achar que não é o suficiente para te impedir de escrever um textão, pense em todas as coisas que te incomodam e você não escreve textão, tipo: atualização do Windows, o seu parceiro roubar o seu cobertor num dia de frio, o cachorro da rua latir a noite toda, o esmalte da unha descascar no segundo dia após pintar, etc.

Experimente também nas coisas que você não gosta de fazer, mas as demais pessoas fazem e nem por isso você sai xingando elas, como por exemplo: tem gente que faz exercício e você não, tem gente que cozinha e você não, tem gente que viaja e você não.

Por fim, se mesmo assim você ainda sentir uma hiper necessidade de escrever um textão ofensivo, inspira, respira e leia em voz alta até que essa frase entre na sua cabeça: VOCÊ NÃO TEM NADA A VER COM A VIDA DOS OUTROS. As pessoas são livres para fazer o que quiserem, cada um cuida do seu corpo, da sua vida, do seu comportamento. Cada um é feliz do seu jeito e se você não gosta disso, apenas não assista a felicidade do outro.

Um brinde à liberdade de ser quem a gente é! Um brinde ao amor, seja ele qual for.

Feliz dia do amor

Amor de dois, duas ou três.
Amor de um, de vários.

Amores livres, imperfeitos e incalculável.
Que leve o nome que levar, seja namoro, ficada, namorico, “se juntar” ou casar.
Mas que leve respeito, leve leveza, leve lealdade.
 
Que encha o peito e a alma.
Que seja leve, sincero e completo.
Que complete.
 
Amor que arranque sorrisos e arranque roupas.
Amor de abraços longos, de beijos únicos.
De conchinha feita e desfeita.

Amores sem vergonhas, sem amarras, sem descaso.
 
Amor doado, amor amado.
Feliz dia do amor.

O que anda passando no meu Netflix

Há uns 7 meses atrás eu contei aqui o que andava passando no meu Netflix. O Netflix ele toma conta das nossas vidas, consome muito dos nossos finais de semana e horas que poderíamos estar fazendo outras coisas. Mas isso não é uma reclamação – pelo menos não nesse post – e vim aqui atualizar o que anda passando no meu Netflix.

That’s 70th Show

Pra quem é dos anos 90, sabe o que essa série representa. Assistia essa série quando tinha uns 15 anos e agora ela está no Netflix. Claramente não me lembrava e nem tinha assistido muitos episódios, mas o Netflix trouxe de volta para nossa vida. Tem duração de uns 20 minutos cada episódio e conta a vida de uns jovens e duas famílias nos anos 70. É bem divertida e não exige muito de sua atenção.

How to get away with murderer

Ok, acho que todo mundo mais do que ouviu falar dessa série, porque é A série do momento. Aliás, fora do Brasil já acabou a segunda temporada. Mas fica a dica pra quem ainda não viu. Advogados tentando acobertar crimes. Parece sem graça escrevendo assim, mas é muito foda. Prometo.

LOVE

Uma historia de duas pessoas que só se fodem na vida amorosa e depois se encontram, mas isso não necessariamente dá certo. Essa série mostra que o amor vai além das barreiras físicas, que não existe paraísos e sim, é difícil.

Master of None

Essa ainda não tenho certeza se gosto, mas é uma série sem padrões. Conta a história de um indiano que vai pra NY tentar a vida de ator e acaba se envolvendo em várias histórias. O começo é meio parado, mas depois fica mais interessante e imprevisível.

Black Mirror

Essa série explode nossas mentes. Você pode achar que não tem nada a ver, mas ela faz uma análise profunda da sociedade atual. É extrema, é intensa e eu achei boa demais. Por favor, vejam.

—————

Além dessas séries tem O Demolidor e Unbreakable Kimmy que voltaram com a segunda temporada e são legais também. Flash e Arrow acompanho pela Warner, mas tem no Netflix e são pique Malhação dos Super Heróis, mas vale assistir se não tiver nada pra fazer. E o documentário Amy, que ganhou uns prêmios por aí.

Por enquanto é isso… Se tiverem uma série boa, um filme, um documentário, deixa a dica aqui, pois SOMOS TODOS NETFLIX.

The Apple City – Parte 1

IMG_20140801_214722Estava de férias nesses últimos dias e aproveitei desses dias majestosos e merecidos que são as férias para viajar. Dessa vez a cidade escolhida foi The Apple City, The Big Apple ou Nova York para os não tão íntimos rs.

Todo mundo ama NY, já que essa cidade representa mais do que uma cidade qualquer. Representa todas nossas lembranças de filmes, seriados, músicas, paixões… Quem nunca pensou em andar pela cidade e viver a vida da Carrie Bradshaw, ou ir no incrível Empire States do King Kong? Tocar o piano gigante que nem o Tom Hanks, no filme Big (Quero ser grande)?! NY é cinematográfica e a viagem não tinha como ser ruim. Era como se já conhecêssemos cada lugar, como se já tivéssemos ido lá.

Primeiramente, hospedagem: Airbnb. Já ficamos em vários ap’s em diversos esquemas diferentes no Airbnb aqui no Brasil, e arriscamos ficar em NY também! Não tem muito segredo, procuramos a hospedagem que cabia no nosso bolso e que fosse perto de metrôs. NY é rodeada de metrôs… Você consegue atravessar a cidade de metrô, ir pra praia, pro centro, pra dentro da ilha e fora da ilha, e isso é o máximo! Então qualquer hospedagem em qualquer lugar que tenha metrô perto, vai ser perfeito! Nada de luxos, afinal de conta, mal ficamos no quarto… Ficar na ilha de Manhattan é o ideal, mas ficar em Williamsburg ou no Brooklyn é bom também! Tem hospedagens mais baratas por lá, com metrô perto e o bairro também é tranquilo.

Ficamos 10 dias na cidade, mas com 7 dias você consegue conhecer todos os pontos, e com 5 dias você consegue ver os principais. Em 10 dias nos demos o direito de ir pra praia, de ir para o parque fazer picnic, compras e fazer tudo na paz e tranquilidade de umas férias…

Dia 01- Rockefeller Center,Toys ‘R’ Us e  Dallas BBQ

Chegamos as 8h e pegamos uma pesada fila na migração. Como não tínhamos contratado shuttle/traslado e não queríamos gastar com táxi, arriscamos e fomos de metrô. Sim, você vai se perder no metrô. Não é fácil, as vezes não é muito dedutivo, mas com o tempo vai se aprendendo… Ou se acostumando a se perder rs.

Almoçamos no Calexico – restaurante mexicano mara!- e fomos pro AP nos recuperar das 9 horas de viagem direto. Ai de noite, fomos conhecer o centro.. Passando pelo Rockefeller Center, que cada época do ano tem uma exposição diferente na praça, visitamos a loja de brinquedos Toys ‘R’ Us, que tem uma roda gigante dentro, miniaturas de Lego, super-heróis espalhados e muitos brinquedos/crianças/adultos se divertindo com tudo. A loja fica bem na Times Square, e aí não tem como não se maravilhar com a rua completamente iluminada, cheia de vida e de pessoas (muuuuuitas pessoassss!)

dia 01

NY é uma cidade 24 horas, e a Times Square x Broadway são a prova disso. Passamos milhões de vezes por lá e por vários horários diferentes, e sempre movimentada, sempre cheia de luzes e sempre cheia de “cinema” dentro dela! Um lugar lindo, que tem que ir, mas que depois, começa a ficar cheia demais pros passeios do dia-dia.

Fechamos a noite comendo no Dallas BBQ, um restaurante que tem uns drinks muito bons (tomamos piña colada – $9 o copo grande) e costelinha de porco com BBQ, frango assado com BBQ, tudo com BBQ! Uma loucura, muito bom e pratos bem servidos…

 

Dia 02 – Brooklyn Brewery, Friends, Sex and the City e The High Line

Depois de uma boa noite de sono, fomos visitar a cervejaria de NY (tem várias, mas essa é a mais famosa por aqui no Brasil), a Brooklyn Brewery. De fim de semana, a cervejaria oferece tour gratuito, e pra quem quiser ver na semana, o tour é cobrado ( $10 dólares com direito a degustação) e tem que ver a disponibilidade no site. Fomos no domingo, e conseguimos fazer a visitação na parte da tarde, tivemos que esperar um pouquinho, mas conseguimos visitar (ahh, o tour de fds é das 13h as 17h). Enquanto não dava nosso horário, ficamos no bar, que é um espaço imenso com banheiro, onde você pode degustar todas as Brooklyn’s (cada 5 fichas, $20).

dia 02

Saímos de lá, depois da visita e da degustação, e fomos visitar os dois pontos dos seriados que eu amo Friends e Sex and The City <3 Muita caminhada, mas chegamos nas faixadas da casa da Carrie e depois da casa da Monica, Rachel, Joey e Chandler! Mapinha da onde ficam os lugares aqui.

Algumas fotos depois e uma parada pra descansar da caminhada, fomos passar o final da tarde (que estava encoberta para ver o por do sol 🙁 ) no High Line – um parque construído na linha de trem abandonada pelos residentes que moram no bairro. Super bem cuidado, cheio de flores e pessoas passeando… Um ótimo lugar pra descansar no fim da tarde e esquecer um pouco da cidade no meio da cidade.

 

Dia 03 – Estátua da Liberdade, Wall Street, Pier 16, Grand Central e Magnólia Bakery

Reservamos a manhã pra ir na Estátua da Liberdade. Quando chegamos em NY o tempo estava com uma cara fechada, nebuloso e com garoa. Mas, passado o fim de semana, o tempo abriu e o verão nova-iorquino nos mostrou o que tinha de melhor: o sol! Um sol maravilhoso, quente e cheio de amor pra dar… Muito calor e muito turista! A época do verão também é época de férias por lá, e todo mundo quis começar a segunda-feira turistando e visitando a tal da Senhora Liberdade. Compramos o ingresso ($15) e pegamos o barco pra ir na ilha! A estátua da liberdade é pequena, mas a ilhota tem seu charme, e não tem como não imaginar filmes e séries passando por lá. Um passeio que todo turista tem que fazer! Passamos a manhã inteira por lá e aproveitamos também pra saborear um cachorro quente, desse de rua… Sem maionese, sem batata palha, mas nada sem graça. Pedimos de linguiça picante e super valeu a pena!

dia 03

Saindo de lá, passamos pelo touro de Wall Street, e como a cidade tava cheia de turistas, o touro estava cercado… Foi difícil, mas conseguimos passar a mão na bola do touro e agora só esperar a sorte aparecer! Ainda lá perto, fomos visitar o Pier 17, mas descobrimos que o pier está fechado para obras até 2016. Ficamos no Pier 16, que tem um barco de pirata, um clima agradável, uns trapézios de circo (com orientadores) e uma bela vista para o Brooklyn!

Ficamos vendo o entardecer por lá e antes que acabasse o dia, pegamos o metrô e fomos conhecer a Grand Center Station. E realmente, ela é linda.. Cheia de iluminação, teto desenhado e chão com piso brilhante, a Grand Center Station é um ponto que deve ser conhecido… A disparidade dela com as demais estações de metrô é tanta que vale ficar uns minutinhos lá dentro para conhecer.

dia 031

Andamos mais, comemos o pedaço pizza de $3 (vende em quase todas as esquinas e é muito bom!) e fomos até o Rockefeller conhecer a Magnólia Bakery… Padaria das meninas do Sex and the City e que vende um cupcake maravilhoso <3 Compramos de dois sabores, mas fica a dica: baunilha com chocolate é o melhor disparado!

Dia 04 – Rockefeller, LEGO, Top of The Rock, LOVE, FAO Shcwarz, 5 avenue, Rickys e Rudy’s

Já tínhamos visitado o Rockefeller Center a noite e visitamos de dia também! Tinha uma escultura meio “modernosa” (não entendi até hoje o que significa) e muitas pessoas andando por lá. Logo na frente do Rockefeller, tem a loja da Lego. Uma loja pequenininha que vende peças separadas, kits e tem um dragão feito de Lego que cruza a loja inteira. Depois da visitação, fomos ao que interessava: Top of the Rock.

dia 04

No Top of the Rock é possível ter uma visão da ilha de Manhattan inteira e dos edifícios Chysler e Empire States, do Central Park e até da Estátua da Liberdade. A entrada é bem salgada ($24) e ainda estou avaliando se compensa ou não pagar tudo isso.. Como já tinha pago, o jeito foi aproveitar a linda vista e passar umas horinhas por lá. É tudo bem construído para o turista, desde a recepção até o elevador.

Depois disso, fomos no big LOVE da cidade tirar umas fotos e encher o coração de amor, e depois disso uma passada na incrível loja de brinquedos FAO Schwarz. Cheia de doces, brinquedos, crianças e adultos se encantam com essa loja… Não tem como não voltar no tempo, ver Lego, Comandos em Ação, Barbie, Muppets Baby… E ver o Big Piano (que de Big só tem o nome)… A loja é bem legal e vale a pena ser visitada. Na mesma calçada, tem uma loja da Apple (a primeira loja) cheia de brasileiros comprando IPhone e de todo mundo usando wi-fi.

dia 041

Andando pela 5ª avenida e babando pelas vitrines caríssimas e chiquetosas, passamos por uma Rickys. Rickys é uma loja de cosméticos e vende tudo para cabelo que você precisar! O preço não é o melhor do mundo, mas comparado ao Brasil é maravilhoso! Entre cremes para cabelo, baby liss, chapinhas, esmaltes… Nos fundinhos das Rickys tem um sexy shop!

Fim de caminhada, fomos parar para molhar as palavras, pois o dia tava quente! Beber (e comer) em NY não é barato e procuramos (Google) um bar com a cara americana de ser e a preços que cabiam no bolso. Achamos o Rudy’s: bebida barata ($10, pitcher), pessoas jovens, clima agradável e cachorro quente de graça! Passamos a noite por lá, fizemos amizades e fomos embora cambaleando metrô adentro.

continua

Vídeo da Semana

love story

O vídeo dessa semana é pra tocar o coração dos apaixonados e dos desapaixonados também… Uma pequenina história de amor que nos mostra que o com ajudinha do cupido, o amor supera as dificuldades.

Vale a pena assistir e de repente, vale a pena até um lencinho <3

Sometimes you have to listen with your heart… One Saturday night, midway through an impromptu concert, she notices a customer she hasn’t seen before with a look of complete disinterest on his face. Laura wouldn’t usually mind, but with this guy, it’s as though she wasn’t even there. Who is he? And why can’t Laura stop looking at him?