Arquivo da tag: negócio

Antes de morrer eu quero…

Eu vi circulando essa frase em algumas redes sociais como o Facebook e Instagram e resolvi, porque não, fazer um post sobre isso. Morrer não é uma coisa que eu penso muito (ainda bem, né?), mas todos sabemos que é o destino de todos os seres vivos. Quando penso que um dia vou morrer, já bate aquela angustiazinha do coração e aquele frio na barriga. Não pela morte em si, mas em pensar que o tempo está correndo e eu poderia estar fazendo outras mil coisas e não to.

cb76f95cb740b7a1e08e2926ef7b3cafAntes de morrer eu quero viajar muito, conhecer novas culturas, novas pessoas, novos jeitos de vida. Passar perrengue por não saber me comunicar direito, dormir em hotel barato no meio da viagem, comer bichos que nem sabia que eram pra ser comidos. Quero conhecer o máximo de gente e o máximo de lugares, e olha que não sou das mais aventureiras, mas viajar me inspira e quero fazer isso durante toda a minha vida.

Antes de morrer eu quero morar fora do Brasil. Quero um lugar seguro pra andar sem medo nem de ser assaltada e muito menos ter medo de ser mulher. Morar em um ou vários países.

Antes de morrer quero ter um negócio pra chamar de meu (espero que em breve na verdade). Quero fazer minhas coisas, do meu jeito… Não sei bem o que ainda, mas quero deixar minha criatividade pro mundo, quero poder viver do que gosto de fazer e quero me sentir bem.

Antes de morrer quero ficar muitas noites fazendo nada, tomando vinho e jogando conversa fiada com meu namorado no sofá. Quero compartilhar ideias, sentimentos, angústias. Fazer sexo, claro… Cada vez com mais cumplicidade e com mais paixão do que das primeiras vezes. Quero andar junto, crescer junto, viajar juntos, amar mais.

Antes de morrer quero ficar muito tempo com meus pais, almoçaar domingo e ouvir que faz tempo que não vou lá visitá-los (mesmo tendo ido na semana anterior). Quero ouvir historias de quando era criança, de como me tornei o que me tornei, de como aprontava ou tinha medo de cachorro.

E por falar em cachorro, antes de morrer quero ter muitos cachorros. Quero levar eles no parque, quero brincar, querer morder o filhotinho que chega em casa. Quero um companheiro que me acompanhe e seja feliz comigo.

Antes de morrer quero dar muita risada com amigos, quero beber cerveja, tomar champanhe (a fina), quero fazer videos engraçados, quero fotos bonitas, quero chorar de raiva, quero assistir filme ruim, quero falar besteira, comer porcarias, quero ficar brava, sorrir a toa, ver séries. Quero fazer tudo, quero fazer nada. Antes de morrer quero ter certeza que valeu a pena a estadia!

10 mitos sobre criatividade que você precisa parar de acreditar agora

mitoMuitas pessoas pensam que criatividade é uma inspiração divina, impraticável e concedida somente a poucos sortudos. São muitos os mitos populares sobre o negócio criativo, mas nenhum deles possuem evidência científica. Um novo estudo baseado na ultima pesquisa — “Os mitos da Criatividade”, de David Burkus– ajuda a desmistificar o que está por trás das forças e processos que conduzem a inovação.

A pesquisa de Burkus apoia o que eu sempre acreditei — com o treinamento adequado, qualquer a mentalidade de senso comum baseada na realidade pode oferecer novas ideias criativas e inovadoras, projetos, processos e programas. O primeiro passo é não limitar seu pensamento. Isso significa não seguir esses dez mitos sobre pensamento criativo.

1. Mito da Eureka

Novas ideias algumas vezes insistem em aparecer como um insight. Mas pesquisas mostram que aqueles insights são na verdade o resultado atingido de um trabalho duro em um problema. Esse pensamento é em determinado momento encubado em nosso subconsciente e como nós conectamos tópicos antes as ideias saem como inovações do tipo “eureka”.

2. Mito dos genes

Muitas pessoas acreditam que a habilidade criativa é uma peculiaridade inerente a uma herança de genes. De fato, as evidencias mostram justamente o contrário. Não existe tal coisa sobre gene criativo. Pessoas que tem confiança em si mesmo e trabalham duro em um problema são as mais propensas a chegar em uma solução criativa.

3. Mito da originalidade

Existe um antigo mito sobre propriedade intelectual — a ideia que a ideia criativa é propriedade da pessoa que pensou nela. Mas histórica e empiricamente, pesquisas mostram mais evidencias que as novas ideias são na verdade combinações de ideias antigas e compartilhando-as, ajuda a gerar mais inovação.

contem_blog_imgprincipal_set142

4. Mito do especialista

Muitas empresas confiam em um especialista técnico ou em um time de especialistas para gerar uma corrente de ideias criativas. Problemas difíceis precisam de cada vez mais de especialistas conhecedores. Em vez disso, pesquisas sugerem que particularmente esse tipo de problemas requerem uma perspectiva de fora ou alguém não limitado ao conhecimento de algo que não pode ser feito.

5. Mito do incentivo

O mito do especialista muitas vezes leva a outro mito, que argumenta que os incentivos maiores, monetários ou não, vao aumentar a motivação e consequentemente aumentar a produtividade de inovação. Incentivos podem ajudar, mas muitas vezes eles fazem mais mal do que bem, pois as pessoas aprendem como burlar o sistema.

6. Mito do criador solitário

Isso é reflexo da nossa tendência de reescrever a história e atribuir o avanço das invenções e impressionantes trabalhos criativos para uma só pessoa, ignorando trabalho em grupo e esforços preliminares colaborativos. Criatividade é frequentemente um esforço coletivo e ajuda líderes construir um perfeito grupo criativo.

7. Mito do Brainstorming

Muitas consultorias hoje pregam o conceito do brainstorming, ou discussões espontâneas em grupo para explorar todas as possibilidades, não importa o quão longe vá, para produzir avanços criativos. Infelizmente, não há evidência que somente “jogar ideias no ar” constantemente produz avanços na inovação.

images

8. Mito de coesão

Os que acreditam nesse mito querem que todo mundo se deem bem, trabalhem felizes e juntos para promover inovações. É por isso que vemos muitas empresas “doidas” onde funcionários jogam pebolim e aproveitam almoços grátis juntos. De fato, muitas das mais criativas companhias tem procurado maneiras de estruturar as diferenças e conflitos dentro de seus processos para tirar o melhor limite criativo de seus funcionários.

9. Mito do contraste

Outra noção popular é que as restrições impedem suas criatividade e os resultados vem de pessoas que tem recursos “ilimitados”. Pesquisas mostram, entretanto, que a criatividade ama contrastes. Talvez companhias devam fazer exatamente o oposto — aplicar intencionalmente limites para influenciar o potencial de criatividade das pessoas.

10. Mito da ratoeira

Outros falsamente acreditam que a unica vez que temos uma nova ideia, o trabalho está acabado. Mas o mundo não vai bater na sua porta ou sempre buscar a porta com a ideia para melhor ratoeira, a menos que nós comuniquemos isso, introduza no mercado e procure os compradores certos. Nós sabemos de pelo menos uma “melhor ratoeira” ainda está escondida.

——

 Se esses são de fato os mitos do negócio criativo, quais são os verdadeiros componentes?
10125016466434De acordo com Teresa Amabile, diretora de pesquisas da Harvard, criatividade é realmente dirigida por quatro separados componentes: domínio da expertise, a definição da metodologia criativa, pessoas que realmente estão engajadas e companhias que aceitam novas ideias. Onde esses componentes se sobrepõe é onde a criatividade realmente acontece.

Se você acredita que o sucesso da sua start up depende da sua companhia começar a ser mais criativa e mais inovadora do que seus competidores, não basta seguir cegamente os mitos históricos. Em vez disso, gaste o tempo necessário para compreender e nutrir os componentes criativos de seu ambiente. Como criativamente você pode buscar inovação em seus negócios?

Fonte: www.entrepreneur.com/article/229600

Como encontrar sua paixão em cinco exercícios criativos

Muito dos artigos que aparecem no Decola são em inglês e muitos são bem interessantes. Confesso que demoro bastante tempo pra lê-los, primeiro porque meu inglês é bastante enferrujado e segundo porque tenho as vezes preguiça e acabo “deixando para depois”. Como forma de exercitar o meu inglês e deixar um pouco dessa preguiça de lado, resolvi incorporar aqui no blog a tradução de alguns textos interessantes. Assim, desenferrujo um pouco do meu inglês e trago coisas que eu acho interessante já traduzidos… Ah, e aproveito pra incluir essa ideia na tag #30ideias30dias.

O texto de hoje é sobre: Como encontrar sua paixão em cinco exercícios criativos.

————

Benjamin Disraeli, primeiro ministro britânico no século 19, disse uma vez: “O homem só é grande quando age com paixão”. Para os aspirantes a empresários de hoje, explorar os caminhos da criatividade para procurar sua paixão é provavelmente o caminho mais rápido para aumentar suas chances de lançar um negócio bem sucedido. Onde começar? Aqui, cinco exercícios para ajudar a descobrir sua paixão.

Exercício 1 – Revisite sua infância. O que você amava fazer?

infancia-foto“É incrível como nos desconectamos das coisas que trouxeram mais alegrias em favor do que é prático,” diz Rob Levit, em Annapolis, Md.- especialista em criatividade, palestrante e consultor de negócios.

Levit sugere fazer uma lista de todas as coisas que você lembra de desfrutar quando criança. Você gostaria dessa atividade agora? Por exemplo, Frank Lloyd Wright, maior arquiteto da América, sempre brincava com blocos de madeiras em sua infância e talvez bem depois disso.

“A pesquisa mostra que há muito a ser descoberto brincando, até quando adulto,” diz Levit.
Revisite algumas atividades positivas, comidas e eventos da infância. Levit sugere perguntar para você mesmo essas questões para começar: O que pode ser traduzido e acrescentou em sua vida agora? Como as experiências passadas podem moldar sua carreira de agora?

Exercício 2 – Faça um “quadro criativo”

downloadComece com um grande cartaz, coloque as palavras “Novos Negócios” no centro e crie uma colagem de imagens, provérbios, artigos, poemas e outras inspirações, sugere Michael Michalko, um especialista em criatividade baseado em Rochester, NY, e Naples, Fla, e autor de livros e ferramentas de criatividade, incluindo ThinkPak (Ten Speed Press, 2006).

“A ideia por trás disso é que quando você se cerca de imagens com sua intenção — quem você deseja se tornar ou o que você deseja criar — a sua consciência e paixão vão crescendo,” diz Michalko. Como seu quadro evolui e se torna mais focado, você começará a reconhecer o que está faltando e imaginar jeitos para preencher os brancos e realizar sua visão.

Exercício 3 – Faça uma lista de pessoas que você quer ser.

imagesVocê não tem que reinventar a roda. Estude pessoas que são bem sucedidas na área que você quer seguir. Por exemplo, durante a recessão, muitas pessoas evitaram o mercado imobiliário porque pensavam que era o fim. Levit acredita que esse é o momento perfeito para pular dentro — quando a maioria está pulando fora — porque não importa o negócio, há pessoas que são bem sucedidas nele.

Estudá-las, mostra como e porque elas são capazes de obter sucesso quando qualquer outro está se desdobrando e, em seguida criar estruturas para imitá-las. “Se você quer ser criativo, crie um plano rigoroso e formal,” diz Levit. “Não é o plano que é criativo, é o processo que você vai pensar que abre muitas possibilidades”.

Exercício 4 – Começar a fazer o que você ama, mesmo sem um plano de negócios

download (1)Um monte de pessoas esperam até ter escrito um extenso plano de negócios, juntamente com investidores anjos querendo investir dinheiros nele — e suas ideias nunca veem a luz do dia, de acordo com Cath Duncan, em Calgary, com sede no Canadá especialista em criatividade e coach que trabalha com empresários e outros profissionais. Ela recomenda fazer o que você gosta — mesmo se você ainda não descobriu como ganhar dinheiro com isso. Testar como poderia ser trabalhar na área que você é apaixonado, construir sua rede de negócios e ter feedback é o que vai te ajudar a desenvolver e refinar seu plano de negócios.

Esse é o jeito para não só mostrar o valor que você traria, mas você também ganha depoimentos e isso vai ajudar a lançar seu negócio quando você estiver pronto para se tornar oficial. “Talvez o mais importante, no entanto, isso vai por pra fora sua paralisia e medo,” diz Cath, “e a alegria de ver a diferença da sua contribuição vai alimentar sua criatividade”

Exercício 5 – Tire uma pausa de pensamentos de negócio

Depois de você tirar férias mentais se entregar a alguma coisa que você é apaixonado, Levit sugere voltar-se para um caderno e escrever qualquer ideia de negócio que vier a mente.
“Você irá se sentir maravilhado em quão frescas suas ideias estão,” ele diz. “Olhe as coisas bonitas – arte e natureza – criar conexões que muitas vezes não percebemos. Comece a capturá-los, escrevê-los e usá-los.”

Texto Original: How to Find Your Passion in 5 Creativity Exercises