Arquivo da tag: sentimento

2017, um ano de transformação

2017 foi um ano de metamorfose.

Foram 12 meses de transformações, começos e recomeços, de despedidas, reencontros, muitos sorrisos e muitas lágrimas, conexão, descobrimento – o maior deles, sobre eu mesma.
Foram 12 meses que encontrei em mim uma criança, com olhar de descobrimento de um novo mundo, desbravando o desconhecido – e muitas vezes tendo medo disso-, experimentando novos sabores, novas experiências.
Foram 12 meses que também encontrei em mim uma mulher, me livrei de algumas âncoras, encontrei poder dentro de mim, procurei saídas e soluções – que vezes encontrei, vezes não -, amadureci ideias, pensamentos, atitudes, opiniões.

Durante esse ano preenchi alguns espaços que ficaram vazios.
Inspirei novos sentimentos.
Descobri que vida não segue planos.
Não foram tudo flores.
Não foram tudo espinhos.

Foi um ano um tanto esquisito; um ano que não fiquei confortável, mas todo esse desconforto me fez amadurecer. Termino esse ano convencida que cresci bastante e eu encontrei eu mesma dentro de toda essa bagunça. O ano termina e eu saio dele completamente diferente de como entrei, e fico muito feliz com isso tudo.

Deixa pra lá…

Não se estresse com o que não adianta se estressar.
O passado já foi e não vai ter como mudar, não é mesmo?
Amanhã a gente pensa no amanhã.
Coração aberto para as coisas boas, deixa o que é ruim pra lá.

Em tempos de guerra política e textão no Facebook, não perca um amigo por nada.
Aprenda a ser tolerante, a respeitar a diversidade e a discutir de uma maneira que enriqueça.
Não gostou do que viu? Só deslizar (o dedo, a barrinha, o mouse).
Perca tempo com o que vale a pena, porque o tempo passa muito rápido.

Em épocas de sustentabilidade, vamos sustentabilizar nossos sentimentos.
Troque um textão cheio de ódio por uma tarde apaixonante.
Troque mensagens cheia de raiva por um passeio de bicicleta. Que tal?
Sem acúmulo de arrogância, pedantismo e nem pretenção.
Doe um sorriso, um ombro amigo e vários abraços.

Menos é mais.
Viva com menos preocupações, menos reclamações.
Guarde os bons momentos para sempre que precisar.
Mais sorrisos, mais histórias e mais recordações.
Seja leve/

Você pode não fazer nada disso também.
A escolha é sua.

Você tem medo do que?

Quando resolvi enfrentar essa “temporada” da minha vida de frente, me deparei com uma palavra que tornou-se muito comum depois: o medo. Todo mundo tem medo de alguma coisa, e isso é uma verdade absoluta. Seja de altura, de falar em público, de dirigir… Uma hora ou outra nessa vida a gente sente medo.

E normal ter medo, porque afinal de contas somos humanos, com sentimentos. O problema é quando o medo se torna um inimigo e ai não conseguimos fazer nada por causa dele. Sim, levei tempo pra descobrir isso, e ainda to descobrindo na verdade, mas o medo pra mim sempre foi um grande empacador.

Do livro: “Tudo o que poderíamos ter sido se não fossemos eu e você”

Por medo já não subi em roda gigante, não brincava com cachorros, fiquei trabalhando no que não gostava por muito tempo, etc. O medo é bom, quando a gente não usa ele como limitador. O medo é bom para termos mais cuidado, mais precaução, mas nunca para nos fazer desistir.

20150626_124754

Calma, tá tudo bem agora

O medo existe, e temos que lidar com ele. Todos os dias um pouco e fazer com que esse inimigo se torne um aliado. Hoje eu trabalho todo dia com esse medo, mas me policiando sempre pra que ele não se torne um bloqueador e sim um aliado. É difícil? Sim. Somos humanos, então é difícil controlar o que sentimos o tempo todo, mas quando começamos a lidar com o medo de uma forma mais positiva, garanto que muitas janelas se abrem.

Então vamos aprender a conviver com nossos medos de maneira saudável, fazer o medo se tornar um sentimento positivo, pra que a vida seja vivida por inteiro e não pela metade!