Intensidade

Chega, abre a porta, deita e dorme.
Hoje aqui é seu lar.

Aqui comigo.
Temos pouco tempo.
Então não se incomode em dizer se lhe faltar algo.

Não quero nada em troca.
Ou melhor, quero sim.
Quero trocar carinhos, lembranças e histórias.
Quero ganhar seu colo, seu abraço.

Não se preocupe que eu preparo o café da manhã.
Hoje eu sou a anfitriã.
Quero que você se sinta em casa.
E que se sinta a vontade pra voltar.

A gente é tão diferente agora.
Mas o nosso passado é o que nos une.
É o que faz você vir aqui hoje.
É o que faz eu sentir sua falta.

Me preocupo em te mostrar que estou bem.
Me preocupo em colecionar sorrisos nossos.
Me preocupo em saber quanto vai demorar pra você voltar.
Mas fico feliz que você veio.

Vou lembrar do cheiro que você deixou por aqui.
E das pequenas coisas que fizemos.
Dos passeios despretensiosos.
Das danças no meio da rua.
Da nossa cumplicidade.

Mas espero você não muito longe de hoje
Pra uma próxima visita.
Porque meu peito esvazia muito rápido quando você está longe.

Hoje é sobre mim

Hoje vai ser sobre mim
Sobre as minhas vontades, minhas histórias e meus desabafos
Hoje vai prevalecer os meus gostos, minha música, minha dança
Hoje é o meu dia
O dia de me satisfazer, de sorrir pro sol
Nada de carregar o mundo das costas
Hoje ando sem mochila, sem pesos, sem preocupações
Hoje o dia é sobre mim
Sobre me fazer bem, sobre me sentir bem
Olhar pra onde eu gosto de olhar
Sentir o que eu quero sentir
Hoje e sobre as minhas futilidades
Sobre as minhas necessidades
É sobre o que eu quero
Ou talvez o que eu ache o que eu quero
São as minhas incertezas
Minhas inseguranças
Meu próprio umbigo
Minha liberdade

Sinto muito
Mas hoje o dia é só sobre mim
Precisa ser só sobre mim.

Vamos colocar a mão na consciência

Sem chocolates, flores e jantares.
O dia de hoje que é sempre lembrado com mimos vazios e estéticos deve ser um dia pra pelo menos levar a reflexão. O dia de hoje é um bom dia pra tirar a mão do celular e colocar a mão na consciência.  Não queremos mimos, não queremos uma ajudinha em casa porque é dia das mulheres. Queremos igualdade, queremos respeito. Sair na rua sozinha sem medo; medo de ser assediada, medo de não voltar pra casa. E QUEREMOS TODOS OS DIAS.

E, para todos nós, valorize as mulheres a sua volta. Amigas, mães, tias, colegas de trabalho. Não desmereça o trabalho de alguém só porque é mulher. Não minimize a mulher falando de seu corpo ou seu ciclo menstrual. As mulheres tem que dar duas, três, mil vezes mais duro pra ser reconhecida, pra ter voz e se você também é mulher, você sabe do que eu to falando. Então valorize sempre que puder.
Apoie as mulheres. Não existe esse negócio de rivalidade feminina e se pensarmos bem essa inimizade feminina só existe porque “a sociedade” diz que existe. Vamos nos apoiar e lembrar que a nossa luta é a mesma, estamos do mesmo lado e melhor será quanto mais juntas estivermos. Já é difícil com todo o machismo nos homens, com mulheres também fechando a porta, tudo se torna mais difícil. Apóie, ouça, entenda.
Inspire-se com outras mulheres. Somos rodeadas de histórias e inspirações sempre masculinas. Tem Einstein, Darwin, Freud, Pitágoras… mas no longo da nossa vida a gente poucas vezes escuta sobre quantas mulheres incríveis passaram pela história também. Quantas mulheres na história você conhece? Procure, conheça e conte pra outras mulheres – e outros homens também- para as crianças. Deixa as mulheres inspirarem.

Que tenhamos mais empatia, que passamos a admirar cada vez mais as mulheres – não pelo seu corpo ou beleza e sim pelo que somos -, que sejamos cada vez mais respeitadas.

Tamo juntas <3

Sobre a vida

Eu não sei ainda como lidar com a morte, nem falar sobre ela. Não é uma coisa que penso freqüentemente e nem me é impeditivo para fazer as coisas. Mas quando me vem a notícia de morte, tenho um mix de sentimentos que brotam dentro de mim e fico refletindo sobre a vida e o quão pouca importância a gente vai dando pra ela.

São dias deixando a vida passar, não fazendo aquela viagem esperando o momento ideal, não mudando de carreira pra não abrir mão do salário já alcançado, juntando dinheiro aos montes pra gastar somente no futuro, não abrindo uma garrafa de vinho caro até um momento especial aparecer. E a viagem fica pra outro ano, o dinheiro fica lá no banco, o vinho fica guardado até virar vinagre e o tempo vai passando e tudo vai ficando pra depois.

Pois é, a vida não espera o dia ideal, não espera o tempo ideal, não espera você ficar pronto pra começar. Ela simplesmente acontece, enquanto eu estou aqui sentada escrevendo esse texto, enquanto ao meu lado meu cachorro está dormindo enrolado na coberta, enquanto não muito longe daqui minha mãe e meu pai estão trabalhando e alguém está discutindo assuntos mais importantes que esse.

A vida acontece.

Então, não deixe pra depois.
Não deixe pra um futuro longe demais, não deixe pra amanhã, não deixa a preguiça tomar conta, não deixa de lembrar o que você quer, não deixe de se colocar em primeiro lugar, seus sonhos e vontades, não deixe de se importar com os outros também.

Não deixe.

Descubra um jeito de tornar sua vida leve, não carregue os pesos que não são seus. Não carregue raiva demais, ciúmes demais, inveja demais, trabalho demais. Ria com seus amigos, passe um tempo com você mesmo, passe tempo com outras pessoas, se descubra, descubra o mundo. Proporcione momentos de alegrias, dance, converse, sinta seus sentimentos, se permita. Faça agora o que dá pra ser feito, o que quiser fazer.

Aprecie agora os bons momentos, aproveite agora a sua vida, enquanto ela acontece, aconteça junto com ela.

Porque um dia tudo simplesmente acaba.
E as outras vidas vão acontecendo.

Assim como os cachorros

Em um dia de sol e céu azul em meio ao inverno de Berlim, fui dar uma volta no parque e aproveitar o belo dia. Os dias de sol costumam ser raros no inverno – apesar desse ano o sol ter aparecido bastante -, que normalmente é acompanhado de dias frios e cinzentos e algumas vezes neve. Então, quando o sol aparece, as pessoas saem as ruas com seus animais, crianças ou sozinhas mesmo para aproveitar a vitamina D natural. Apesar do sol, o dia ainda é frio e até mais frio do que um dia cinzento seria, mas o sol convida todos a sairem de casa, inclusive eu.

Nesse dia, me sentei em um banco estrategicamente localizado entre o sol e uma colina, onde normalmente os donos levam seus cachorros e os soltam para brincarem ao ar livre. Alguns minutos ali sentada, três pessoas chegam acompanhadas de seus três cachorros. Raças diferentes, comportamentos diferentes, idades diferentes, porém os três carregavam em si uma imensa alegria de estar naquele parque, aproveitando também o dia de sol. Seus donos começaram a atirar os brinquedos e eles desciam e subiam o pequeno morro em segundos, vezes esbarrando uns nos outros, vezes tropeçando nos buracos ali encontrados, mas com uma excitação e alegria que fizeram aquele momento ser único e exclusivo.

E dentro das minhas ideias malucas fiquei pensando em como seria viver a vida na perspectiva de um cachorro, como se a vida fosse apenas o dia de hoje, como se não houvesse preocupações acumuladas até o dia acabar. Como seria viver um dia de cada vez em que todos os momentos fossem aproveitados ao extremo, onde as pequenas alegrias fizessem o nosso dia valer a pena, as coisas simples.

Diferentemente dos cachorros, sabemos que a vida tem um amanhã e um depois de amanhã. Mas acabamos que estamos sempre ocupados demais, correndo demais, fazendo coisas demais, que um dia de sol na colina passa por nossos olhos e não ganham o mesmo brilho, nem a mesma graça. Se só por um dia nos desconectássemos de tudo e aproveitasse apenas o dia de hoje, sem MAS. E, assim como os cachorros, aproveitássemos mais as colinas no parque, os brinquedos, a liberdade e os dias de sol.

Mas né, isso foi só um pensamento que me ocorreu enquanto eu observava a felicidade simples e até inocente daqueles cachorros enquanto eles subiam e desciam da colina atrás dos seus brinquedos para então depois irem relaxados e realizados para suas casas.