Arquivo da tag: vida

Sobre a vida

Eu não sei ainda como lidar com a morte, nem falar sobre ela. Não é uma coisa que penso freqüentemente e nem me é impeditivo para fazer as coisas. Mas quando me vem a notícia de morte, tenho um mix de sentimentos que brotam dentro de mim e fico refletindo sobre a vida e o quão pouca importância a gente vai dando pra ela.

São dias deixando a vida passar, não fazendo aquela viagem esperando o momento ideal, não mudando de carreira pra não abrir mão do salário já alcançado, juntando dinheiro aos montes pra gastar somente no futuro, não abrindo uma garrafa de vinho caro até um momento especial aparecer. E a viagem fica pra outro ano, o dinheiro fica lá no banco, o vinho fica guardado até virar vinagre e o tempo vai passando e tudo vai ficando pra depois.

Pois é, a vida não espera o dia ideal, não espera o tempo ideal, não espera você ficar pronto pra começar. Ela simplesmente acontece, enquanto eu estou aqui sentada escrevendo esse texto, enquanto ao meu lado meu cachorro está dormindo enrolado na coberta, enquanto não muito longe daqui minha mãe e meu pai estão trabalhando e alguém está discutindo assuntos mais importantes que esse.

A vida acontece.

Então, não deixe pra depois.
Não deixe pra um futuro longe demais, não deixe pra amanhã, não deixa a preguiça tomar conta, não deixa de lembrar o que você quer, não deixe de se colocar em primeiro lugar, seus sonhos e vontades, não deixe de se importar com os outros também.

Não deixe.

Descubra um jeito de tornar sua vida leve, não carregue os pesos que não são seus. Não carregue raiva demais, ciúmes demais, inveja demais, trabalho demais. Ria com seus amigos, passe um tempo com você mesmo, passe tempo com outras pessoas, se descubra, descubra o mundo. Proporcione momentos de alegrias, dance, converse, sinta seus sentimentos, se permita. Faça agora o que dá pra ser feito, o que quiser fazer.

Aprecie agora os bons momentos, aproveite agora a sua vida, enquanto ela acontece, aconteça junto com ela.

Porque um dia tudo simplesmente acaba.
E as outras vidas vão acontecendo.

As obviedades da vida

Aquelas coisas que são óbvias e já vimos em vários lugares, escritas em textos, em frases no Instagram e na sessão da terapia, porém com o passar dos dias vamos esquecendo. Então esse texto é só com frases clichês necessárias pra gente ler, relembrar e seguir em frente.

Sonhe alto, porque você é capaz de realizar qualquer coisa
Tenha coragem para fazer o que quer que você queira (desde que não seja nada criminoso, claro)
Não perca toda sua energia com coisas que não gosta
Cuide da sua saúde sempre
Tenha atitudes positivas ao delongar da vida
Menos é mais: não cometa excessos
Aproveite os dias de céu azul
Viaje sempre que puder, conheça novos lugares e viva novas experiências
Não guarde rancor, só vai te fazer mal
Se reúna com quem você ama
Deixe as pessoas saberem como você se sente sobre elas; diga eu te amo sem medo
Sorria sempre – seu sorriso é lindo e exercita os músculos da face
Mantenha-se hidratado
Esteja presente quando estiver com alguém
Permita-se sentir seus sentimentos
Não se preocupe demais
Se ame e se valorize.

<3

 

Mudou, mas não mudou tanto assim.

Os tempos mudaram.
Não precisa mais ser magra, loira de cabelo liso pra estar na moda.
Não precisamos ter corpos bronzeados, livres de estrias e celulites.
Não precisamos ter vergonha do nosso corpo, do nosso cabelo, da nossa pele.

Estamos no tempo da aceitação do corpo APESAR DE TUDO.

O movimento que vivemos agora é o da quebra dos antigos esteriótipos de beleza  e motiva as pessoas a  começarem a se aceitar e ser feliz com o corpo que tem.  De fato, está acontecendo essa mudança, mas agora temos os novos comportamentos fakes de aceitação.
Uma positividade extrema que te “obriga” a gostar do próprio corpo.

Porque o corpo tem que estar tão atrelado a nossa felicidade?

Ninguém é feliz o tempo inteiro.
Ninguém precisa ser feliz o tempo inteiro.
Vivemos no mundo real. Tem dias que me gosto mais, tem dias que me gosto menos e tem dias que nem ligo pra isso, que no caso é a maioria dos dias.

Você não precisa amar o seu corpo. E isso não significa que você precisa odiá-lo também.
A vida não é binária, não existe só duas opções.
Todo mundo tem a liberdade de fazer o que quiser.

Mais importante do que isso tudo é aprender a nos tolerar, conhecer as coisas que nos fazem bem. A gente não se gosta o tempo todo, mas temos que ser amigos de nós mesmos, saber o que nos faz bem internamente.

Felicidade é…

Você sabe o que é felicidade? Eu não sei.

As vezes felicidade pra mim é ficar em um lugar legal, bonito, tranquilo e ficar gastando umas horas fazendo nada por lá. As vezes é comer uma comida que não comia a tempos ou aquele tempero de família gostoso que tem sabor de aconchego – um pirãozinho da mãe, cuscuz da vó. Me vejo feliz quando eu vejo as pessoas que gosto sorrindo, se divertindo. É acordar com meu cachorro me empurrando da cama com a maior cara de preguiça do mundo, é fazer comida e dar tudo errado, passar uma tarde tomando café com a família, ouvir histórias antigas das tias. É as vezes ficar quietinha na minha só lembrando das coisas que me fizeram sorrir, rever fotos, relembrar momentos, viagens, situações. Conseguir fazer um desenho e gostar resultado final, ir no parque e ver vários cachorrinhos felizes por lá, ficar em casa vendo os filmes que eu gosto.

Pra mim a felicidade é muito mais do que alguma coisa a ser alcançada. Será que é possível alcançar um nível de felicidade plena!? Olha, não sei… Mas pra mim é mais como um estado de espírito, sabe? Você pode estar feliz por muitos dias ou só em alguns momentos. Vai de cada um buscar o que lhe traz felicidade. São situações que enchem meu coração, que deixam minha alma mais leve, que me dão a sensação de que estou fazendo a coisa certa (e que o resto do mundo que se dane).

Então invés de ir atrás da felicidade, vou buscar tê-la perto de mim todos os dias. Nos momentos mais banais, nos especiais também, no trabalho, nas pessoas que quero perto de mim. Quero estar rodeada dos momentos felizes, e isso pode até não ser felicidade, mas definitivamente são essas coisas que eu quero pra mim.

Pequenos grandes prazeres

Fazer xixi quando está muito apertado.
Achar o ponto certo daonde tá coçando.
Chorar de tanto rir.
Dar aquele espirro que não saiu na hora que tinha que sair.
Tomar um banho no dia de calor.
Café quentinho nas manhãs geladas.

Tirar sapato apertado.
Tirar a carninha presa no dente.
Tirar o sutiã depois de um dia inteiro com ele.

Massagem nas costas,
Matar o pernilongo que te tirou o sono,
Coçar o céu da boca,
O primeiro gole da cerveja.

Deixar um pé pra fora da coberta,
Puxar a pelinha solta do dedo,
Estourar plástico bolha,
Tirar película nova de celular.

Abrir um botão da calça,
Puxar a casquinha da ferida.
Tomar coca cola até o gás sair pelo nariz.

Quando tudo parecer perdido, lembre-se dos pequenos prazeres que engrandecem a vida.